Referências


Walter Benjamin

BENJAMIN, Walter. Passagens. Edição alemão de Rolf Tiedemann; organização da edição brasileira Willi Bolle; colaboração na organização da edição brasileira Olgária Chain Féres Matos; tradução do alemão Irene Aron; tradução do francês Cleonice Paes Barrento Mourão; revisão técnica Patrícia de Freitas Camargo; posfácio Willi Bolle e Olgária Chain Féres Matos. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.


______. Imagens de pensamento Sobre o haxixe e outras drogas. Trad, João Barreto. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.


______. Estética e sociologia da arte. Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.


______. Rua de Mão Única Infância Berlinense: 1900. Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.


_______. Baudelaire e a modernidade. Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica Editora,2017.


________. O anjo da história. Org. e trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica Editora. 2013.


________. Ensaios sobre Brecht. Trad. Claudia Abeling. São Paulo: Boitempo,2017.


_______. A hora das crianças. Narrativas radiofônicas de Walter Benjamin. Trad. Aldo Medeiros. Rio de Janeiro: 

Nau Editora,2015.


________. Historias y relatos. Traducción Gonzalo Hernández Ortega.Barcelona: El Aleph Editores, 2005.


_______. Escritos sobre mito e linguagem. Org., apresent. e notas Jeanne Marie Gagnebin. Trad. Susana Kampf Lages e Ernani Chaves. São Paulo: Duas Cidades/34 Letras,2011.


________. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação/Walter Benjamin. Tradução, apresentação e notas de Marcus Vinicius Mazzari; posfácio de Flavio di Giorgi. São Paulo: Duas Cidades Editora 34, 2009 (2a. ed).


________. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Tradução do alemão e seleção de variantes de Gabriel Valladão Silva. Organização , ensaio bibliográfico, revisão técnica e seleção dos fragmentos de Marcio Seligmann-Silva. Porto Alegre: RS, L& PM, 2013.

Bibliografia Geral


AGAMBEN, Giorgio. Estâncias. - a palavra e o fantasma na cultura ocidental. Trad. de Selvino José Assman. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2007.

______. Lo abierto. El hombre y el animal. Traducción de Flavia Costa y Edgardo Castro. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2006.

______. Profanações. Trad. Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2007.

_____. Infância e História. Destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2008.

______. Ninfas. Trad. Renato Ambrosio. São Paulo: Hedra, 2012.

_______. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua. Tradução Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2004.

________. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. Tradução Selvino K. Assmann. São Paulo: Boitempo,2008.

________. Estado de excessão. Tradução de Iraci de Poleti. São Paulo: Boitempo, 2004.

ANDRADE, Ana Luiza. "O livro na era da reprodutibilidade técnica: entre o livro-de-artista e Avalovara, objet d'art" In: Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, nº 24. Brasília, julho-dezembro de 2004, pp. 113-131.

__________. Transportes pelo olhar de Machado de Assis: passagens entre o livro e o jornal. Chapecó: Grifos, 1999.

__________; LOPES DE BARROS, Rodrigo e CAPELA, Carlos Eduardo Schmidt (Orgs.) Ruinologias : ensaios sobre os detroços do presente. Florianópolis: Editora da UFSC,2016.

AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Tradução de Maria Lucia Pereira. Campinas, SP: Papirus, 1994.

_____________. El tiempo en ruinas. Tradução de Tomás Fernández Aúz e Beatriz Eguibar. Barcelona: Gedisa, 2003.

BARKER, Francis. The tremulous Private Body, Essays on Subjection. London/New York: Methuen, 1984.

BARRENTO, João. Limiares sobre Walter Benjamin. Florianópolis: Editora da UFSC,2013.

BARROS, Rodrigo Lopes de. "Havana, a cidade como catástrofe em Antonio Jose Ponte". Alea. Rio de Janeiro,v.12, n.2. pp.257-268, jul/dez,2010.

BARTHES, Roland. Fragmentos de um discurso amoroso. Martins Fontes: São Paulo, 2003.

___________. A câmara clara. Nota sobre a fotografia. Trad. Julio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Nova Fronteira,1984.

____________. Crítica e verdade. Tradução Leila Perrone-Moisés. São Paulo: Editora Perspectiva,2007.

________. O grau zero da escrita seguido de Novos ensaios. Tradução Mario Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

_______. Mitologias. Tradução Rita Buongermino e Pedro de Souza. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil S.A., 1989.

BATAILLE, Georges. História de ratos. Tradução de Aníbal Fernandes. Hiena Editora: Lisboa, 1988.

______. História do olho. Tradução e Prefácio de Eliane Robert de Moraes. Ensaios de Michel Leiris, Roland Barthes e Julio Cortázar. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

______. La conjuración sagrada. Ensayos 1929 -1939. Selección, tradución y prólogo de Silvio Mattoni. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2008.

______. O ânus solar. (seguido de O olho pineal) Tradução de Anibal Fernandes. Hiena Editora: Lisboa, 1985.

_______. O erotismo. Tradução Antonio Carlos Viana. Porto Alegre: LP&M,1987.

BAUDELAIRE, Charles. Sobre a modernidade. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1996.

BAUMAN, Zygmunt. Vidas desperdiciadas - La modernidad y sus parias. Buenos Aires: Paidós, 2005.

BAZIN, André. O cinema: ensaios. Tradução Heloísa de Araújo Ribeiro. Sào Paulo: Brasiliense, 1991.

BECKETT, Samuel. Proust. Tradução Arthur Nestrovski. São Paulo: Cosac& Naify,2003.

BENJAMIN, Andrew; OSBORNE, Peter (Orgs) A filosofia de Walter Benjamin: destruição e experiência. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

BERGSON, Henri. Matéria e Memória. Ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. Tradução Paulo Neves da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. Tradução Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

__________. A parte do fogo. Tradução Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco,1997.

___________ La escritura del desastre. Caracas: Venezuela: Monte Ávila Editores,1990.

_________. O Espaço Literário. Tradução Alvaro Cabral. Rio de Janeiro: Rocco,2011.

BRECHT, Bertold. Poemas 1913-1956. Seleção e tradução Paulo César de Souza. São Paulo: 34 Letras,2001 (6a. ed)

_____. Conversas de refugiados. Trad, posfácio e notas Tercio Redondo. São Paulo: Editora 34,2017.

______. Bertold Brecht Teatro Completo 11O preceptor Coriolano O processo de Joana dÁrc em Rouen. Diretor Fernando Peixoto. Tradução Chritine Röhrig, Erlon José Paschoal. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995. Obra em 12 volumes.

________. Diario de trabalho Bertold Brecht vol II (1941-1947) Tradução Reynaldo Guarany e José Laurenio de Melo. Rio de Janeiro: Rocco ,2005.

BUCK-MORSS, Susan. A tela do cinema como prótese da percepção. Tradução de Ana Luiza Andrade. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2009.

_______________Dialética do olhar Walter Benjamin e o Projeto das Passagens. Trad. Ana Luiza Andrade. BH: Editora da UFMG/Chapecó: Argos,2002.

______. "Estética e anestética: o 'ensaio sobre a obra de arte' de Walter Benjamin reconsiderado". In: Travessia - Revista de Literatura. N. 33. Florianópolis, 1996.

_________Mundo de sonho e catástrofe o desaparecimento da utopia de massas na União Soviética e nos Estados Unidos. Tradutores Ana Luiza Andrade; Rodrigo Lopes de Barros; Ana Carolina Cernicchiaro. Florianópolis: Editora da UFSC,2018.

_______. Hegel e o Haiti. Prefácio Wladimir Safatle. Tradução Sebastião Nascimento. São Paulo: N-1 Edições, 2017.

CAILLOIS, Roger. O mito e o homem. São Paulo: Livraria Martins Fontes,1980.

___________. Os jogos e os homens. A máscara e as vertigens. Tradução de José Garcez Palha. Lisboa: Edições Cotovia,1990.

CALARCO. Matthew. Zoographies - The question of the animal from Heidegger to Derrida. Columbia University Press: New York, 2008.

CAPELA, Carlos Eduardo Schmidt; REALES, Liliana (orgs) Arquivos de passagens, paisagens. Florianópolis: Editora da UFSC, 2012.

CORTÁZAR, Julio. Bestiario. 2 ed. 4 reimp. Buenos Aires: Punto de Lectura, 2007.

CURI, Simone. A escritura nômade em Clarice Lispector. Chapecó: Argos, 2001.

DALI, Salvador. Diário de um gênio. Tradução Luis Marques e Martha Gambini. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

_______. El mito trágico de "El Ángelus"de Millet. Edición a cargo de Oscar Tusquets. Documentación gráfica de Robert Descharnes. Traducción Joan Vinyoli. Barcelon; Tusquets Editores, 2004.

DELEUZE, Gilles. A Dobra, Leibnitz e o Barroco. Trad. Luiz B. Orlandi. Campinas: São Paulo: Papirus, 2012.

__________. Cinema I. A imagem em movimento. Tradução Stella Senra. São Paulo: Brasiliense,1983.

__________ . Cinema 2. A imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense,2007.

____________; GUATTARI, Felix. Kafka Por uma literatura menor. Trad.Julio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Imago,1977.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou. Tradução Fábio Landa. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

__________. Demorar Maurice Blanchot. Tradução Flavia Trocoli e Carla Rodrigues. Florianópolis, 2015.

_____________. Pensar em não ver: escritos sobre as artes do visível (1979-2004) Org. Ginette Michaud, Joana Masó, Javier Bassas; tradução Marcelo Jacques de Moraes. Florianópolis: Ed da UFSC, 2012.

____________. Papel-máquina. Tradução Evando Nascimento. Ver. Tec. Anamaria Skinner. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.

___________. Força de lei. O "fundamento místico da autoridade". Tradução Leila Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

___________. Posições. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte. Autêntica, 2001.

_________ . Dar (el) tiempo I. La moneda falsa. Trad. Cristina Peretti. Barcelona/BA/ Mexico: Paidós,1995.

__________. Mal de arquivo - Uma impressão freudiana. Trad. Cláudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Ed. 34, 1998.

______. Venus rajada - Desnudez, sueño, crueldad. Traducción de Juana Salabert. Buenos Aires: Editorial Losada, 2005.

_______. Que emoção! Que emoção? Tradução Cecilia Ciscato. São Paulo:Editora 34, 2016.

________. Pintura encarnada seguido de A Obra-prima desconhecida de Honoré de Balzac. Tradução de Osvaldo Fontes Filho e Leila Aguiar Costa. São Paulo: Escuta, 2012.

_________. A imagen sobrevivente.: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

_________. Diante do tempo Historia da arte e anacronismo das imagens Tradução Vera Casa Nova e Marcia Arbex. Belo Horizonte: Editora UFMG,2017.

_________. Diante da imagem. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 2013.

_________. Gestes d'áir et de pierre. Paris: Editions de Minuit,

_________. Cascas. Com entrevista a Ilana Feldman. Tradução André Telles. São Paulo: Editora 34, 2017.

________. Levantes com ensaios de Nicole Brenez, Judith Butler, Marie-José Mondzain, Antonio Negri, Jacques Rancière. Tradutores Edgard de Assis Carvalho, Eric R.R. Heneault, Jorge Bastos, Marisa Perassi Bosco. São Paulo: Sesc, 2017

______________. Atlas ou o gaio saber inquieto O olho da história III Marcia Arbez e Vera Casa Nova. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2018.

_____________. Sobrevivência dos vagalumes. Belo Horizonte: UFMG, 2011.

______________. Quando as imagens tomam posição. O olho da história I Tradução: Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2017.

DOUGLAS, Mary. Pureza e perigo. São Paulo: Perspectiva, 1976.

EAGLETON, Terry. Walter Benjamin o hacia uma critica revolucionaria. Trad. Julia Carcia lenberg. Madrid: Catedra,1998.

FANON, Frantz. Os condenados da Terra. 2 ed. Prefácio de Jean-Paul Sartre. Tradução de José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

FEDIDA, Pierre. "O sopro indistinto da imagem". In.:______. O sítio do estrangeiro, a situação psicanalítica. São Paulo: Editora Escuta, 1996.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir - Nascimento da prisão. Tradução de Ligia M. Pondé Vassalo. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 1989.

_______. As palavras e as coisas. Tradução Salma Tannus Muchall. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1995.

_______. Ditos e escritos III. Estética, Literatura e Pintura, Música e Cinema. Organização, seleção de textos e revisão técnica: Manoel de Barros da Motta. Tradução Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

______. Em defesa da sociedade. Cursos do Collège de France (1975-1976) sob a direção de François Ewald e Alessandro Fontana. Tradução Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FREUD, Sigmund. Arte, Literatura e os artistas. Tradução Ernani Chaves. Revisor Pedro Heliodoro Gilson Iannini. Belo Horizonte: Autêntica, 2017. (Obras Incompletas de Sigmund Freud)

__________. "Três ensaios sobre a sexualidade" In: Fragmento da análise de um caso de histeria. - vol. VII das Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

__________.Freud e o estranho contos fantásticos do inconsciente Seleção e apresentação de Braulio Tavares; contos de E.T. A. Hoffmann ...et al; Tradução Carolina Caites Coelho et al. Ilustrações de Romero Cavalcanti. -Rio de Janeiro: Casa da palavra, 2007.

__________. Escritos sobre Literatura Tradução do alemão Saulo Krieger. Iuri Pereira (org) Noemi Moritz Kon (introdução) São Paulo: Hedra, 2014.

_________. Obras Completas Volume 12 (1916-1917) Conferências introdutórias à psicanalise Tradução Sergio Tellaroli. Revisão Paulo César de Sousa. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

________. O mal estar da civilização. Obras Psicológicas Completas Volume XXI. Rio de Janeiro: Imago Editora, Direção Jayme Salomão.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. O que é a imagem dialética? In ; FLORES, Maria Bernadete Ramos; PETERLE, Patricia (orgs) História e Arte: imagem e memória. Campinas/SP: Mercado de Letras, 2012.

_______. História e narração em Walter Benjamin. São Paulo: Perpectiva,1999.

________. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Ed. 34 Letras,2006.

_______. Limiar, aura e rememoração. Ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Ed 34 Letras,2014.

________. Benjamin Os cacos da História. Tradução Sônia Salzstein Tradução das citações Marcos Müller Jeanne Marie Gagnebin São Paulo: Brasiliense,1982. (série Encanto R Radical)

________. 7ete Sete aulas sobre linguagem, memória e história. Rio de Janeiro: Imago, 2005.

GODARD, Jean-Luc. Historia(s) del cine. Traducción de Tola Pizarro y Adrián Cangi. Buenos Aires: Caja negra, 2007.

GOMES, Paulo Emílio Salles. Cinema: trajetória no subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra/Embrafilme, 1980.

GOUX, Jean-Joseph. Symbolic Economies after Marx and Freud. Translated by Jennifer Curtiss Gage. New York: Cornell University Press, 1990.

GUATTARI, Félix. As três ecosofias. Tradução Maria Cristina F. Bittencourt. Campinas, São Paulo: Papirus,1990.

JENSEN, Wilhelm. Gradiva uma fantasia pompeiana. Tradução Amgela Melim. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor,1987.

KAFKA, Franz. O silêncio das sereias. In: Narrativas do espólio. Tradução Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

________. O desaparecido ou Amerika. Tradução, notas e posfácio de Susana Kampf Lages. São Paulo: Editora 34 Ltda, 2003.

________. Um artista da fome e A Construção. Tradução Modesto Carone. 2a. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985.

KOFMAN, Sarah. A Infância da arte. Uma interpretação da estética freudiana. Tradução Maria Ignez Duque Estrada. Rio de Janeiro: Relume-Dumara, 1996.

KRAUSS, Rosalind. Os papéis de Picasso. Tradução Cristina Cupertino. São Paulo: Iluminuras, 2006.

KRISTEVA, Julia. Pouvoirs de l'horreur. Essai sur l'abjection. Paris: Éditions du Seuil, 1980.

KRISTEVA, Julia. "Sobre la abyección"; "De que tener miedo". In. ______.Poderes de la perversión. 5 ed. Buenos Aires: Siglo XXI Editores Argentina S.A., 2004.

______. O sol negro. Depressão e melancolia. Tradução de Carlota Gomes. Rio de Janeiro: Rocco, 1989.

LAGES, Susana Kampf. Walter Benjamin: tradução e melancolia. São Paulo: EDUSP, 2002.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Mito e significado. Tradução de António Marques Bessa. Lisboa: Edições 70, 1978.

LÖWY, Michel. Walter Benjamin: aviso de incêndio: uma leitura das teses "Sobre o conceito de história". São Paulo: Boitempo, 2005.

____. A estrela da manhã Surrealismo e marxismo. Tradução de Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

LUKACHER, Ned. Primal scenes. Literature, Philosophy, Psichoanalysis. Ithaca and London: Cornell University Press,1986.

MALLARMÉ, Stéphane. Divagações. Tradução e apresentação de Fernando Scheibe. Florianopolis: Editora da UFSC,2010.

MATOS, Olgaria C.F. O iluminismo visionário: Benjamin, o leitor de Descartes e Kant. São Paulo: Brasiliense,1993.

MICHAUD, Philipe-Allain. Aby Warburg e a imagen em movimento. Rio de Janeiro: Contraponto,2013.

MORAES, Eliane Robert de. O corpo impossivel. São Paulo: Iluminuras, 2002.

NANCY, Jean-Luc. 58 indícios sobre el cuerpo, Extensión del alma. Trad. Daniel Alvaro. Buenos Aires: Ediciones La Cebra, 2007.

______. Corpus. Traducción de Patricio Bulnes. Arena Libros: Madrid, 2003.

______. El intruso. Traducción de Margarita Martínez. Buenos Aires: Amorrortu, 2006.

______. La representación prohibida seguido de La Shoah, um soplo.Traducción de Margarita Martínez. Buenos Aires: Amorrortu, 2006.

______. Noli me tangere - Ensayo sobre el levantamiento del cuerpo. Traducción de María Tabuyo y Augustín López. Madrid: Editorial Trotta, 2006.

NAZÁRIO, Luiz. Pasolini - Orfeu na sociedade industrial. São Paulo: Brasiliense, 1982.

NUNES, Benedito. "A paixão de Clarice Lispector". In: CARDOSO, Sérgio (et al). Os sentidos da paixão. São Paulo: Companhia das Letras/FUNARTE, 1987, pp.269-275.

OTTE, Georg. Escovando a história a contrapelo: a desaceleração da modernidade em Walter Benjamin. Cadernos Benjaminianos. Belo Horizonte, n.3, p.63-70.

___________; SEDLEMAYER, Sabrina e CORNELSEN, Elcio (Orgs) Limiares e passagens em Walter Benjamin. Belo Horizonte: Editora UFMG,2010.

PASOLINI, Pier Paolo. Diálogo com Pasolini - escritos (1957 - 1984). Tradução Norma Benetazzo. São Paulo: Nova Stella, 1986.

PELBART, Peter Paul. O tempo não reconciliado: imagens de tempo em Deleuze. São Paulo: Perspectiva,1999.

PLAZA, Julio. "O livro como forma de arte (I)" In: Revista Arte em São Paulo. São Paulo, N.6, abril de 1982.

ROCHA, Glauber. O Século do cinema. São Paulo: Cosac & Naify, 2006.

______. Revisão crítica do cinema brasileiro. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

______. Revolução do cinema novo. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

SAID. Eduard. Orientalism. New York: Vintage Book, 1979.

SARLO, Beatriz. Siete ensayos sobre Walter Benjamin. Buenos Aires/Mexico: Fondo de Cultura Económica,2000.

____________. El imperio de los sentimientos. Buenos Aires: Grupo Editorial Norma, 2004 [1985].

___________. La imaginación técnica. Sueños modernos de la cultura argentina. Buenos Aires: Nueva visión, 1992.

SELIMANN-SILVA, Marcio Historia Memoria Literatura O testemunho na era das catástrofes Campinas, SP: Ed. da Unicamp, 2003.

__________. Ler o livro do mundo Walter Benjamin romantismo e crítica literária São Paulo: Iluninuras,1999.

_________. O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução. São Paulo: Editora 34 Ltda, 2005.

_________(Org.) Palavra, memória, escritura, imagem. Chapecó: Argos, 2006.

SIMMEL, Georg. Filosofia do Amor. Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

_________ A ruína. Tradução Antonio Carlos Santos. Ensaio publicado em Der Tag Illustrierte Zeitung de Berlim, no. 96, 22 de fevereiro de 1907. In Ruinologias Org. Andrade, Ana Luiza; Barros, Rodrigo Lopes de; Capela, Carlos Eduardo Schmidt. Florianopolis,2016.

SONTAG, Susan. Sob o signo de Saturno. Tradução Ana Maria Capovilla e Albino Poli Jr. Porto Alegre/São Paulo: L& PM,1986.

WITTE, Bernd, Walter Benjamin uma biografia. Tradução Romero Freitas. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

XAVIER, Ismail. Sertão mar: Glauber Rocha e a estética da fome. São Paulo: Brasiliense, 1983.

- Filmografias

Arquitetura da destruição. Dir. Peter Cohen. Suécia, 1992. 121 minutos.

Noite e neblina. Dir. Alain Resnais. França, 1955. 32 min. Color. e p/b.

POCILGA. Direção de Pier Paolo Pasolini.

SALÒ OU OS 120 DIAS DE SODOMA. Direção de Pier Paolo Pasolini. Itália/França, 1975, 108 min., color.

TEOREMA. Direção de Pier Paolo Pasolini. Itália, 1968,105 min., color.

TERRA EM TRANSE. Direção de Glauber Rocha. Rio de Janeiro, 1967, 115 min., preto-e-branco.